Seleção 2016, Finais 2/6

Placares depois do primeiro tempo:

  1. Carvalho 44 x 37 Mello
  2. Casabona 22 x 69,5 Rio – Sampa

***

Fred – Nader jogaram contra Thiago – Emilio, enquanto Sergio Brum – Beto Brum jogavam contra Vitamina – Leão. Na final feminina, Ágota e Heloísa, em N-S, jogaram contra Lucilia – Laurita, e Lia Casabona – Irene enfrentaram Caru – Lucia.

Mão 1:

Apenas Ágota e Heloísa pararam em 3, e ganharam 2 imps quando caíram uma a menos (as outras mesas caíram duas em 4). As diferenças nos leilões foram interessantes. Fred – Nader jogaram 4 por Sul quando Fred (Norte) abriu de 2, multi. Beto Brum abriu de 2, e Sergio Brum marcou 2ST; Beto Brum mostrou máximo, e assim a dupla foi a game. Irene abriu de 3, e Lia apoiou a game.

Carvalho 44 x 37 Mello, Casabona 22 x 71,5 Rio – Sampa

Mão 2:

Bolsa igual em Carvalho vs. Mello. Fred – Nader jogaram 3ST, fazendo 10 vazas, enquanto Sergio – Beto chegaram a 5 por Norte; quando Este saiu espadas, o carteador terminou com 12 vazas. Casabona ganhou 1 imp quando os mesmos contratos foram alcançados, mas Rio-Sampa carteou 5 por Sul, e assim a saída foi o Ás de paus, 11 vazas.

Carvalho 44 x 37 Mello, Casabona 23 x 71,5 Rio – Sampa

Mão 3:

1 imp para Carvalho quando, no mesmo contrato de 3ST por Oeste, recebendo a saída de copas (ganha com o Valete da mesa), Thiago jogou paus para o Dez, enquanto Vitamina jogou o Nove de paus e deixou correr. Na final feminina, depois da mesma saída, as carteadoras (Lucilia e Caru) jogaram pequena da mesa, e este tempo perdido foi o suficiente para que elas fizessem uma vaza a menos (terminaram com 9 e 10 vazas respectivamente, 1 imp para Rio-Sampa).

Carvalho 45 x 37 Mello, Casabona 23 x 72,5 Rio – Sampa

Mão 4:

O tempo continuou morno com um caixão em 4 feitas em todas as mesas. A mão não é tão batida assim, mas com o J9x de paus junto com um doubleton de trunfos o carteador acaba chegando a 10 vazas.

Carvalho 45 x 37 Mello, Casabona 23 x 72,5 Rio – Sampa

Mão 5:

O baralho (e os jogadores) acordaram nessa mão. Thiago (Oeste) abriu de 1, e Fred (Norte) marcou 2. Emilio, buscando um slam, passou de 3ST, e a dupla chegou a 5. Nader dobrou. A saída foi espadas para o Ás de Sul, e espadas… o carteador baldou ouros. Norte cortou, e voltou pequeno ouros. Dez do morto, e… Ás de Nader, que voltou outra espadas. Thiago preferiu baldar, e assim caiu 2, 500. Na outra sala, foguetórios ainda maiores. Vitamina abriu de 2 (precision) e Beto Brum marcou 3 com as cartas de Norte. Quando Vitamina tirou o dobre do Leão para 3ST, Leão marcou 6ST! Sergio sabia o que fazer. A saída contra 6ST dobrados foi a Dama de copas; Vitamina ganhou na mão e correu 6 paus, baldando um ouros e 3 espadas da mesa, enquanto Sergio baldava 2 espadas e 1 copas. Vitamina jogou copas para a mesa (Sul baldou ouros) e puxou o Rei de espadas. Sul fiou, e assim o carteador fez também o Rei de ouros no final, 10 vazas, 2 down.

Bolsa igual.

Irene e Lia chegaram ao game que ganha, 3ST, fazendo 9 vazas e ganhando 13 imps quando Caru e Lucia chegaram ao contrato razoável de 4 e foram dobradas por Sul, caindo uma.

Carvalho 45 x 37 Mello, Casabona 36 x 72,5 Rio – Sampa

Mão 6:

Que mão complicada! Na vida real o swing foi apenas 1 imp para Mello quando Fred – Nader não fizeram o corte de espadas. Mas o mesmo problema apareceu em todas as mesas; os homens cartearam de uma forma, as mulheres cartearam de outra, e até agora não sei qual é a melhor.

Contra 4, Sul saiu paus. Em 3 das 4 mesas, Norte fez a vaza, jogou espadas, e fez um corte. E agora o carteador não pode mais dar vaza. Os homens fizeram a dupla finesse de copas; as mulheres jogaram copas para a Dama (jogando para Norte ter Kxx e Sul o Jx). O que é mais provável, levando em consideração a distribuição das espadas? A mão mais provável em Norte, com as informações disponíveis, é 1=3=4=5 (é mais fácil as cartas “faltantes” para equilibrar sua falta de espadas virem de um naipe mais longo, paus, do que de um mais curto, copas). A distribuição da mesa tem 40% de chances de ser observada em comparação com essa aí. Mas a finesse da Dama exige o Jx em Sul… em outras palavras, com KJx de copas, Norte teria servido o Valete na primeira vaza de trunfo (tendo feito um corte), e portanto essa mão já foi eliminada. Assim, estamos comparando 1/2 daquela tal mão “mais provável” (esse 1/2 aí é porque temos que colocar o Rei de copas em Norte para termos chance de ganhar, e assim o Valete tem 50% de chance de estar em Sul, mesmo com as copas 3-2) com os tais 40% da mão da mesa. Só que a finesse da Dama também ganha com o Valete seco! O que dá 1/5 da mão da mesa que precisam ser computados para a finesse da Dama. E há inúmeras outras distribuições que precisam ser computadas, mas elas tendem a acompanhar essa proporcionalidade.

Moral da estória, parece que o melhor carteio foi o escolhido pelas mulheres. (Exceto no caso do Emilio, que não recebeu o corte e não tinha essas informações).

Carvalho 45 x 38 Mello, Casabona 36 x 72,5 Rio – Sampa

Mão 7:

Caixão em 7, depois que Sul abre de 1.

Carvalho 45 x 38 Mello, Casabona 36 x 72,5 Rio – Sampa

Mão 8:

Fred – Nader engoliram o slam no seguinte leilão livre: 1 – 2 – 2 – 3 – 4. Não tenho muito conhecimento das convenções e estilo da dupla (o Precision gera uma porção de inferências que podem ser bem aproveitadas em situações como essa), mas me parece que Sul foi mais retranca do que Norte. 12 imps e a liderança para Mello, que marcou 6. Rio-Sampa ganhou 1 imp quando marcou 6, enquanto Casabona ficava em 6 e fazia 13 vazas.

Carvalho 45 x 50 Mello, Casabona 36 x 73,5 Rio – Sampa

Mão 9:

Emilio (Este) abriu em terceira posição de 1, e Thiago passou. Norte dobrou, Sul marcou 1ST, e este foi o contrato final. Nader terminou com 6 vazas, uma down. Na outra mesa, Leão abriu de 1ST (12-14), que foi o contrato final, em E-O. O ataque começou mal (saída de S7, sobre a qual Norte colocou o Rei), e Leão terminou com 8 vazas, 2 imps para Carvalho.

Na final feminina, Lucilia e Laurita ajudaram o leilão a acelerar, e Ágota e Heloísa também pisaram fundo: depois que Laurita (Este) abriu de 1 em terceira posição, Heloísa (Sul) dobrou, Lucilia marcou 2 (!), Norte marcou 3, Sul marcou 3ST, Norte persistiu atrás do game em rico com 4, e o contrato final foi 4, 4 down. Na outra sala, depois do mesmo começo, Caru (Oeste) passou sobre o dobre de Sul, Norte marcou 1, e este foi o contrato final, que caiu duas. 3 imps para Casabona.

Carvalho 47 x 50 Mello, Casabona 39 x 73,5 Rio – Sampa

Mão 10:

 

5 é um contrato razoável em N-S, que cai com a finesse de ouros mal (ou com ouros 4-0). Fred – Nader foram os únicos que conseguiram parar em parcial, e ganharam 6 imps e a ponta com isso, quando na outra sala Sergio – Beto caíram 2 em 3ST. Na final feminina, as duas mesas foram a 3ST, mas Lia – Irene prosseguiram falando e chegaram a 4ST, caindo uma a mais: 2 imps para Rio-Sampa.

Carvalho 53 x 50 Mello, Casabona 39 x 75,5 Rio – Sampa

Mão 11:

Emilio (Este) abriu de 2, e Nader encerrou o leilão em 4, fazendo 12 vazas. Na outra sala, Leão abriu de 3, Sergio Brum marcou 4, e Vitamina defendeu em 5. Quando N-S decidiram atacar, perderam 10 imps.

Na final feminina, Laurita abriu de 2, Ágota marcou 4, Lucilia foi a 5… e Ágota marcou 5 . A saída foi o Ás de copas, e Lucilia trocou para paus; Ágota cortou todos os paus e, acreditando que Este teria apenas 6 cartas de copas, errou a jogada de ouros. Uma down. Na outra sala, Lucia passou com as cartas de Este, e o leilão foi livre, terminando em 4. Com a saída de trunfo, Lia Casabona estava segura neste contrato, e, ao acertar a jogada de ouros, terminou com 13 vazas, 13 imps para Casabona.

Carvalho 63 x 50 Mello, Casabona 52 x 75,5 Rio – Sampa

Mão 12:

Nader abriu de 1 (Precision) com as cartas de Sul. Norte marcou 1ST, Este entrou em 2 , e, em um leilão competitivo, acabou chegando a 6 (quando E-O marcaram 5), dobrados, uma down. Na outra sala, Sergio Brum abriu de 1, Beto Brum apoiou em 3 , e Leão marcou 4♣ com o bicolor rico em Este. Sergio Brum marcou 5, e o leilão acabou. 11 imps para Mello.

Ágota e Heloísa também começaram com 1 – 1ST, e deixaram as adversárias jogarem 5. Só faltou o dobre para chegarem ao par da bolsa, mas uma down já valeu 4 imps (ao invés de 5 — que dobre mixuruca) quando Lia – Irene foram a 6 dobrados.

Carvalho 63 x 61 Mello, Casabona 52 x 79,5 Rio – Sampa

Mão 13:

 

Fred acertou a saída contra 3ST, saindo copas, e assim Thiago fez 9 vazas. Na outra sala, Beto Brum também acertou a saída… mas como ele tinha feito um overcall de 1, quando o carteador fiou, Sergio voltou espadas, dando o tempo para a décima vaza. 1 imp para Carvalho. Bolsa igual no jogo das mulheres quando as duas Nortes saíram espadas.

Carvalho 64 x 61 Mello, Casabona 52 x 79,5 Rio – Sampa

Mão 14:

 

Parcialzinho em espadas, parece que as cartas voltaram à letargia do início da rodada. 1 imp para Mello quando Beto Brum fez uma vaza a mais do que as outras mesas.

Carvalho 64 x 62 Mello, Casabona 52 x 79,5 Rio – Sampa

Mão 15:

 

Um 3ST normal, com 16 e 9 na linha, mas que não pode ganhar. O ataque termina com (pelo menos) 2 espadas, 1 paus, e 2 vazas em um naipe vermelho (dependendo da saída). 2 imps para Carvalho e Rio-Sampa quando seus carteadores caíram uma a menos.

Placares depois do segundo tempo

  1. Carvalho 66 x 62 Mello
  2. Casabona 52 x 81,5 Rio – Sampa
Facebook Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *