Category Archives: Bridge Avançado

Como joga e por que? – Respostas 29/01/2016

Veja também o artigo original.

As duas mãos são com apuração em IMPs.

Mão 1:

Saída:K, 3, 8, 4.

Oeste então joga o J.

Como joga e por que?

***

Parece provável que Oeste tenha pelo menos um dos dois Reis laterais, considerando sua interferência. Se Este tem o Rei de ouros, você acaba cumprindo o contrato de qualquer jeito. Se Este tem o Rei de espadas, o ataque foi horroroso, pois para derrubar o contrato bastava continuar jogando paus para que Este recortasse o morto (Este chamou paus), o que é trivial. Assim, o caso preocupante é aquele em que os dois Reis laterais estão em Oeste.

Este caso faz com que o ataque de Oeste faça sentido. Ele sabe que se continuar jogando paus vai expor seu Rei de espadas (que pode inclusive estar seco). E ele também deixou uma casca de banana pra você. Suponha que você pense em tudo o que está acima e jogue o Ás de espadas agora, tentando pegar o Rei seco. Se o Rei estava segundo, você acabou de perder o contrato, pois não consegue mais eliminar a mão (Oeste sai da mão com o terceiro paus) e não há mais nenhum encerramento.

O carteio certo é jogar paus na vaza 3 (se Oeste não queria isso, é por que deve ser bom pra você). Depois, você cortará um paus na mesa (de grande), baterá o Ás de trunfo, eliminará as copas, e finalmente jogará espadas, encerrando Oeste.

Mão 2:

Saída: 2, 5, 9…

O plano básico é tirar trunfos e jogar paus. Se eles estiverem 3 a 3, acabou a mão. Se estiverem 4 a 2, você consegue firmar uma vaza de paus, e o problema é apenas como chegar até ela. Neste cenário, depois de firmar paus, você vai bater o Ás de ouros e jogar espadas para o Rei, ganhando a mão quando o Ás de espadas está em Oeste, ou quando Este tem o Ás e o Valete de espadas (ele precisa voltar espadas e te dar a chance da finesse para não permitir o acesso à vaza firme de paus no morto).

E se os paus estiverem 5 a 1 ou 6 a 0, como cartear? Se os paus estiverem em Oeste, a linha mais normal é também a mais provável: jogar espadas para o Rei, e depois espadas para o Dez.

O problema é mais complicado se os paus longos estiverem em Este. Se as espadas estiverem 3 a 3, a linha normal continua sendo a melhor. Mas se Oeste tiver 4 ou mais espadas, a melhor probabilidade é jogar espadas jogando pequena para a Dama da mão depois de eliminar ouros. Se Oeste fizer a vaza, você está torcendo para ele ter também o Valete de espadas (o que é mais provável quando ele tem 4 ou mais espadas).

Ou seja, seu plano é tirar trunfos e, dependendo da distribuição dos paus, jogar espadas de um jeito ou de outro. Mas para tudo isso funcionar você precisa bater o Ás de ouros antes de jogar paus, pois esta é a sua última oportunidade…

Como joga e por que? – Respostas 18/01/2016

Veja o artigo original.

As duas mãos são com apuração em IMPs.

Mão 1:

Saída: Q

Na vaza 2, você bate o A, e Oeste balda uma espadas.

Como joga e por que?

***

Contando com os paus, você tem 11 vazas: 2 copas, 4 ouros, e 5 paus. Como você não pode retificar a contagem para um squeeze mais tradicional, você precisa recorrer a um squeeze mais complicado. Felizmente, parece que as ameaças (AQJ de espadas e QJ10 de copas) podem estar bem posicionadas.

Você precisa correr 5 paus e o resto dos ouros, chegando ao seguinte final:

Quando você bate o K, Oeste fica com 3 cartas. 2 delas precisam ser copas, ou seja, ele precisa secar o Ás de espadas; então, você balda uma copas da mesa e joga espadas. (É claro que se Oeste permanecer com 2 honras de espadas, você balda espadas da mesa e — supostamente — corre as copas). Teoricamente, se o saidor tiver um naipe de espadas encabeçada por AQ (sem o Valete) ele pode baldar uma honra (ficando com Ax no naipe) e te induzir ao erro, mas se ele fizer isso, parabéns para ele.

***

Mão 2:

Saída: Q, 2, 3, Ás.

Vaza 2: 2, 3, Valete, 8.

Sua intenção é fazer 3 vazas de ouros, sempre que possível, e terminar no morto, para tirar proveito de um possível squeeze copas-paus. Para que isso aconteça, sua última vencedora livre, no morto, precisa ser um ouros, ou seja, os dois objetivos interferem um no outro.

Se você soubesse que os ouros estão 3 a 2, você poderia jogar qualquer honra agora, manejando corretamente suas cartas pequenas no naipe. Mas uma de suas chances principais é fazer 3 vazas de ouros quando Este tem 4 cartas no naipe (A1087). Note que se Este tem essa figuração, seu melhor ataque é fiar ouros, como ele acabou de fazer, para prejudicar a comunicação entre as duas mãos. Para se precaver contra isso, a melhor jogada é jogar o Rei de ouros da mesa, desbloqueando o Nove da mão quando Este serve pequena. Nada se perde, e você provavelmente mantém suas chances de squeeze. (Depois que o ataque fizer sua vaza de ouros você deve bater 2 paus para verificar se o Valete está segundo, enquanto ainda tem entradas na mão para desbloquear o naipe).

E se o Ás aparecer em Este? Aí, você precisa acertar (desbloquear o Nove ou não?). Este fez o melhor ataque.

Como joga e por que? – Respostas 11/01/2016

Veja o artigo original.

As duas mãos são com apuração em IMPs.

Mão 1:

 

Saída:3

Como joga e por que?

Com apenas 2 perdedoras fora do naipe de trunfos, sua única preocupação é encontrar os trunfos 4-0. Para se preparar contra esta eventualidade, você precisa preservar o Rei de copas da mesa, sua única entrada. Comece ganhando a saída e depois jogue o Ás de Copas. Se as copas não estiverem 4-0, você pode jogar a Dama de espadas (para ver se Oeste vai cobrir), fazendo a vaza com o Ás, e continuar tirando trunfos, cumprindo o contrato com facilidade. Quando os trunfos estiverem 4-0, você está no lugar certo — na mão — para fazer a finesse de espadas. E, se Oeste não cobrir sua Dama, você ainda tem o Rei de copas na mesa para conseguir descartar seu ouros perdedor no Ás de espadas.

Mão 2:

 

Saída: A. (Obrigado Oeste!).

Mesmo com a saída favorável, você ainda corre o risco de cair (fazendo apenas 6 trunfos, AK de copas, e AK de ouros). Para alcançar aquelas belas 3 vazas de paus que Oeste gentilmente firmou para você, você pode torcer para espadas 2 a 2 (ou o J seco), o que lhe daria 13 vazas; ou, se o 9 de espadas aparecer na primeira vaza de trunfos, depois que você cortou a saída e bateu uma honra, você pode continuar com um trunfo pequeno, cedendo uma vaza em espadas mas estabelecendo uma entrada no morto, terminando com 12 vazas.

Acontece que você só precisa fazer 11 vazas, e a linha mais segura, sem dúvida, é cortar a saída com uma honra, e jogar pequeno trunfo para o morto. Assim você assegura o contrato a não ser que Este tenha todos os trunfos, e esteja curtíssimo em paus. Não é uma linha que salta aos olhos, mas sempre vale a pena procurar uma jogada melhor.

 

Como joga e por que? Respostas 04/01/2016

Veja o artigo original.

As duas mãos são com apuração em IMPs. Variações sobre o mesmo tema.

Mão 1:

Vaza 1: K, 2, 8, Ás.

Vaza 2: A, 2, 3, 4.

Como joga e por que?

Mão 2:

Vaza 1: ♣K, 2, 8, Ás.

Vaza 2: ♠A, 2, 3, ♣4.

Podemos examinar as duas mãos ao mesmo tempo.

Com os trunfos 5-0, você não pode tirá-los. Assim, o carteio seguirá da seguinte forma: Você arrancará o Ás de ouros, cortará a volta em paus, e correrá o naipe de ouros. Se Oeste cortar um ouros depois que o morto já estiver sem cartas deste naipe, você recorta com a Dama, tira os trunfos, e faz o resto. Mas e se Oeste não cortar? Depois que seus ouros acabarem, você vai precisar de algumas vazas de copas. Um Oeste razoavelmente competente vai descartar suas copas nos ouros, e você vai precisar de muita, muita sorte para conseguir fazer as vazas necessárias neste naipe (na realidade, você só ganharia nesta linha se os paus estivessem originalmente divididos 7-2).

É óbvio que vale a pena tentar fazer algumas vazas de copas mais cedo, antes que o último ouros do morto (uma entrada para sua mão) tenha sido jogado. Quantas vazas de copas são necessárias?

No primeiro caso, você precisa de duas. Se você jogar todos os ouros, você baldará três copas da mesa, e o Ás e o Rei ainda estarão lá. Assim, a linha correta é jogar Ás e Rei de copas antes de mexer em ouros. É claro que você está correndo riscos. Oeste pode cortar, ou Este pode ter o Ás de ouros e 4 copas, permitindo que Oeste recorte você na terceira vaza de copas. Todavia, qualquer outra linha seria suicídio se Oeste tiver competência suficiente para baldar copas nos ouros.

No segundo caso, você não precisa de duas vazas de copas, e sim de apenas uma. Depois de fazer uma vaza de copas, você joga os ouros; se Oeste permitir que você corra todos os ouros, você balda todas as copas da mesa (inclusive a última honra!). Assim, você fica com uma perdedora de copas na mão, mas você se livra dela de um modo bem tradicional: cortando-a na mesa.

Ou seja, você precisa bater o número de honras de copas necessário para que as cartas vermelhas do morto sejam iguais ao número de ouros em sua mão.

 

 

Simulações e etc.

Uma ferramenta poderosa para se estudar o custo-benefício de sistemas, convenções, etc., são as simulações. Uma simulação é a geração de uma grande quantidade de mãos obedecendo a certos critérios (que decorrem da pergunta que você está fazendo), seguida da análise dos resultados. Por meio de uma simulação, uma pergunta que poderia demandar anos para ser respondida (caso dependêssemos apenas da vivência na mesa) pode ser esclarecida após a geração de centenas de mãos.

Isto posto, não vou falar de uma simulação por aqui, hoje é dia de “Etc.”. Um grande jogador brasileiro me fez uma pergunta ontem:

“Suponha que um jogador abriu de 1 em pobre com uma mão balanceada de 12 a 14. Quantas vezes a dupla dele é dona do leilão? Em outras palavras, o parcial, game, ou slam será carteado por esta dupla? Ou, se quiserem, abriu de 1ST fraco”

Na conversa subsequente, ficou aparente que a pergunta é muito complexa, pois depende dos sistemas disponíveis, tanto de sua dupla, como do adversário, além de outros fatores (vulnerabilidade e posição na mesa, principalmente). Em muitos casos o adversário do abridor “deveria” ganhar o leilão se tivesse mecanismos para tal, mas não tem estes mecanismos. P. ex., após uma abertura de ST fraco, muito poucas duplas possuem sistemas para entrar no leilão com um tricolor de uns 12-14 pontos, curto em um rico. Ou seja, para responder a esta pergunta por meio de uma simulação, seria necessário definir de antemão o sistema de interferência dos adversários, e projetar o leilão, mão por mão (estamos falando de dezenas, ou centenas, de mãos geradas pelo computador). Um trabalho bem grande.

Aí surgiu a ideia de não usar uma simulação, e sim de analisar um banco de dados já gerados — no caso, as mãos de Chennai, já analisadas por aqui. No RR de Chennai, foram jogadas 336 mãos, em 22 mesas, ou seja, temos 7392 leilões. Infelizmente, não temos acesso a todos os leilões pelo Butler — só podemos verificar os contratos finais, os resultados e o carteador. Mas já é o suficiente para termos uma boa ideia do que está acontecendo. Na contagem que acabei de fazer (quem quiser detalhes é só pedir que eu envio a planilha excel), considerei mãos 5332 com naipe rico como entrando nos critérios, pois a maioria das duplas que joga ST fraco abre estas mãos de 1ST se estão na faixa adequada.

Das 336 mãos, 65 se encaixaram nos critérios. Houve casos em que o lado do abridor ganhava o leilão em todas as mesas, e houve casos em que ele não ganhava o leilão em nenhuma mesa. Em média, o lado do abridor ganhou o leilão em 15,6 das 22 mesas (desvio padrão de 7,67, bem alto). Curiosamente, o total de leilões (65 x 22) é um número bem conhecido nosso, 1430. Destes 1430 leilões, o lado do abridor ganhou o leilão em 1021 casos, ou seja, 71,4% dos leilões foram ganhos pelo lado do abridor.

(Atenção: “ganho pelo lado do abridor” inclui situações em que o lado adversário defendeu um contrato de game, pagando uma multa comparável).

É uma primeira aproximação, para quem quiser montar seus sistemas de leilão.

Como joga e por que? Soluções 23/12/2015

Veja o artigo original.

As duas mãos são com apuração em IMPs.

Mão 1:

Vaza 1: 5 (4ª carta), 8, Ás, 7.

Vaza 2: 4, Dama, 2, 9.

Como joga e por que?

***

Bom, se as espadas estivessem divididas, bastava arrancar o Ás de paus. Mas aparentemente elas não estão divididas (e não vale a pena arriscar tudo nessa chance). Se as espadas estão 5-3, você não pode mais dar a mão.

Sua melhor chance, se as espadas realmente estão 5-3, é fazer uma vaza em espadas, 3 vazas em copas, e 5 vazas em ouros. Se você tivesse muitas entradas, a melhor jogada no naipe de ouros seria bater as honras (Ás e Rei) por cima, ganhando a mão quando os ouros estão 2-2, quando alguém tem a Dama seca, ou quando Oeste tem os quatro ouros faltantes.

Acontece que você tem dois naipes bloqueados. Por isso, a jogada normal do naipe de ouros (bater as honras por cima) se torna muito inferior. Por exemplo, suponha que você bata as duas honras de ouros e o naipe esteja 2-2. Você não consegue mais fazer 5 vazas de ouros (nem mesmo descartando um de seus ouros na terceira vaza de copas). Ou seja, bater honras em ouros só serve quando a Dama de ouros está seca. Nestas circunstâncias, sua melhor chance é fazer uma finesse de ouros na primeira vaza, que ganha sempre que a Dama de ouros está bem colocada (em qualquer comprimento). Claro que você desbloqueará as copas antes de continuar jogando ouros, o que permitirá o tal descarte do quarto ouros de sua mão, liberando o acesso para as nove vazas.

Mão 2:

Vaza 1: 2, 7, Dama, 10.

Vaza 2: K, 2, 7, 5

Vaza 3: A, Dama, 8, 6

Vaza 4: A …

Como joga e por que? (planeje as contingências).

***

Seu problema é evitar duas perdedoras em paus. A única forma de você conseguir isso é um encerramento (ou uma distribuição dos sonhos no naipe de paus).

Para determinar a melhor forma de jogar os paus, você deve tentar descobrir como o naipe está distribuído, e, de preferência, você deve estar no morto no momento de decisão, pois em algumas variações será necessário jogar pequena do morto. Assim, a linha é: cortar a copas na vaza 4, tirar trunfos, e terminar de correr os ouros, baldando um paus da mão. Você já saberá quantos ouros e quantas espadas Este tinha originalmente. Presuma, pelo leilão, que ele tenha 6 copas (a saída de Oeste pode ter te ajudado a determinar o número exato, verifique as convenções de saída usadas por eles). Assim, você terá uma boa noção da quantidade de paus em Este:

Se Este tiver apenas um paus, jogue pequeno paus da mesa. Você precisa que Este tenha uma honra seca.

Se Este tem dois paus, jogue o Ás de paus, e outro paus. Você precisa que ele tenha duas honras secas, ou talvez um “branco” mental que o induza a não desbloquear sua honra no naipe (é um desbloqueio obrigatório na posição final).

Se Este tem três paus, jogue pequeno paus da mesa. Você precisa que ele tenha KQx.

Se Este tem quatro paus (bem pouco provável), você precisa escolher entre duas linhas: ou Este tem KQxx (vc. joga pequena), ou Este tem Kxxx/Qxxx, com ou sem o Dez (você joga Ás de paus e paus). A segunda combinação é a mais provável, mas talvez a exibição de força de Este durante o leilão seja suficiente para que você prefira jogar para que ele tenha KQxx.

Se Este tem cinco paus, acorde. Oeste não teria ficado quieto com 4 trunfos e uma seca.